07/08/2015

Slow Fashion - Qualidade acima da quantidade

Slow Fashion vai além do que a tradução literal do termo (Moda Lenta), pois não é somente que as tendências durem mais e sim uma humanização desde a criação de uma estampa/peça até a produção dela. É o oposto do fast-fashion das lojas de departamentos, em que tenta seguir em tempo recorde as tendências ditas nas passarelas do mundo inteiro, uma produção em larga escala apenas pensando na venda e no consumismo desenfreado. Em que as pessoas têm menos personalidade e só o que querem é “estar na moda”, sem colocar nem um pouco da sua identidade pessoal, apenas copiando o que a tendência diz e saindo todos iguais (falei sobre isso aqui). É claro que já comprei muito nessas lojas, nessa ânsia de também tentar seguir as tendências, mas chega uma hora que você já não consegue acompanhar e nem tem dinheiro pra isso, foi aí que conheci o Slow Fashion. E não que você não possa comprar em loja de departamento, mas é legal verificar se aquela peça será útil em outras temporadas e se ela irá durar até lá.

Um dos conceitos do Slow Fashion é a produção artesanal, de qualidade e poucas peças, mesmo que você tenha que pagar um valor a mais, aquela peça irá “se pagar” devido à qualidade e versatilidade dela. É a questão do custo x benefício, você compra algo que irá durar mais mesmo em um valor maior, ao invés de gastar pouco e não ter qualidade (e assim ter que comprar outro e outro). Duas marcas que eu gosto muito e que defendem isso são a Orna (post aqui) e a Prosa (da liinda Carol Burgo).
Em pleno século XXI onde a informação sobre qualquer coisa está a um clique de pesquisar do Google, onde existem centenas de canais de informação sobre moda, tendências e novidades da moda, já não se sabe mais se é o consumidor que está desencadeando mais fast-fashion, pedindo novidades todo mês ou se é a indústria que quer vender cada vez mais sem se importar se aquela peça irá durar 2, 3 meses. A produção frenética está tão alarmante que já estão sendo estudados os efeitos no meio-ambiente, afinal para onde vai tanta produção assim, quanta matéria-prima é usada e de onde vem tudo isso.

Nesse mundão onde está tudo correndo tão rápido, as cidades crescendo cada vez mais e a crise batendo à porta, é bom repensar se vale à pena seguir essa moda desenfreada ou comprar produtos feitos com cuidado especial para durarem mais, pensados em todos os detalhes desde a obra prima, estampa até a venda na loja. E se engana quem pensa que Slow Fashion é pensado para quem é rico e pode pagar caro em uma peça única, pois até mesmo esse mundo de glamour com peças únicas muitas vezes são industrializadas e pensadas apenas no consumo. Comprar de lojas pequenas com produção própria, bazar, brechós artesãos é uma boa pedida para quem tem muita personalidade e não vai com os outros para seguir uma moda que estão lhe impondo.

E o que vocês preferem comprar uma "peça tendência" ou algo que dure?


Beijos e até a próxima.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário